Skip to content
14 de Fevereiro de 2012 / Sofia Ferreira

Fotografa as irmãs durante 36 anos

O fotógrafo Nicholas Nixon tirou uma fotografia por ano, durante 36 anos, às suas irmãs para mostrar como o passar do tempo altera a beleza do ser humano. O resultado pode ser visto na sua totalidade aqui.

Sofia Ferreira

Anúncios
5 de Janeiro de 2012 / Sofia Ferreira

Kodak pode estar à beira da falência

A Kodak, uma das principais empresas de equipamentos fotográficos da história, fabricante da primeira câmara a utilizar filme de rolo e também a primeira câmara de fole dobrável, pode estar prestes a declarar falência.
Segundo uma notícia publicada no site do jornal Wall Street Journal na passada quarta-feira, dia 4 de Janeiro de 2012, há um problema com patentes que poderiam causar um rombo de 1 bilhão de dólares e uma alternativa seria a venda das mais de 1000 patentes que a empresa detém.
A crise na Kodak não é recente. Desde a década de 1990 que a empresa sofre pela procura acelerada por câmaras digitais e a baixa demanda por filmes fotográficos e câmaras analógicas, obrigando a empresa a investir em novas tecnologias. Ironicamente, a empresa foi responsável também pela criação da primeira câmara SLR digital, a Kodak DCS 100, em 1991.

Em Setembro de 2011 a ameaça de falência já assombrava os accionistas da empresa. Enquanto uma única acção valia 90 dólares em 1997, o ano passado chegou a 64 centavos. As acções da empresa caíram após ser divulgada a notícia de que a companhia contratou os serviços da firma de advogados Jones Day, especializada em processos de reestruturação.
Em Novembro a empresa vendeu a sua tecnologia de sensor de imagem (ISS) a uma empresa de capital privado chamada Platinum Equity. Em Dezembro foi feita uma reestruturação e uma divisão com 194 anos de existência que fabricava gelatina também foi vendida. Após as mudanças, as acções chegaram a subir 20%, mas os valores actuais não têm superado 1 dólar e caso a Kodak não consiga aumentar o valor de suas acções no prazo de seis meses, poderá ser excluída da Bolsa de Nova York.

Sofia Ferreira
21 de Dezembro de 2011 / Sofia Ferreira

Fotógrafo cria paisagens com alimentos frescos

O fotógrafo britânico Carl Warner cria paisagens construídas com nada mais, nada menos… Comida. Chamadas foodscapes – uma junção das palavras inglesas food (comida) e landscapes (paisagens) – as imagens criadas por Warner contêm árvores feitas de brócolos, montanhas compostas por pão e até penhascos feitos de queijo parmesão. Segundo o fotógrafo, o processo é muito lento, podendo demorar até 3 dias.

Esta paisagem feita de bacon, mortadela, presunto e fiambre remete a uma cena rural em Toscana, Itália

Para terem profundidade, as fotografias são realizadas em mesas de 1,2 metros por 2,4 metros e registadas em camadas, começando do primeiro plano para o segundo, evitando que os alimentos frescos se deteriorem antes da conclusão da fotografia.

Árvores, trilhos e comboio feitos de chocolate.

Podem ver mais algumas imagens desta série de Carl Warner, aqui.

Sofia Ferreira

13 de Dezembro de 2011 / Sofia Ferreira

Carteiros-Fotógrafos

Os CTT – Correios de Portugal – lançaram a maior recolha de fotografias amadoras feita em Portugal. As imagens são um espelho de um país envelhecido, solitário e rural, mas onde o carteiro aparece como um profissional com orgulho na profissão.
No início deste ano, três mil carteiros aceitaram mostrar o Portugal real que todos os dias vêem. Diariamente, eles distribuem uma média de cinco milhões de objectos postais, percorrem 215 mil quilómetros, visitando 5,25 milhões de domicílios.
A partir de 27 de Maio último, os carteiros começaram a transportar consigo uma máquina fotográfica descartável. Um mês mais tarde, das quase seis mil máquinas distribuídas pelos CTT, cerca de três mil foram devolvidas com 86.859 imagens captadas. A partir de 17 de Dezembro, na sede dos CTT, na Rua de São José, Lisboa, duas centenas das imagens (com legendas da autoria dos próprios carteiros-fotógrafos) serão alvo de uma exposição, que partirá depois em viagem pelo país.
As imagens também serão reunidas num livro, edição dos CTT, cujas receitas financiarão o projecto.
Uma excelente ideia e uma excelente forma para conhecer o nosso país profundo. Podem ver uma galeria de quase 200 destas fotografias aqui.
Sofia Ferreira
5 de Dezembro de 2011 / vaniarodrigues1

Os olhos dos animais por Suren Manvelyan

“Há quem afirme que os olhos são a porta da alma. Há por outro lado quem considere que não passam de aparelhos ópticos sem nenhum papel suplementar que não o de ver. Seja qual for a sua forma de olhar esta questão de uma coisa temos certeza: depois de observarmos, com olhos de ver, o trabalho de Suren Manvelyan, nunca mais vamos olhar da mesma maneira cada olho que cruzar o nosso caminho. Depois de fazer enorme sucesso com suas fotografias de olhos humanos, Suren agora desenvolveu um projeto de olhos de animais que você poderá ver da sequência. Suren é Arménio, doutorado em Física Teórica e cientista premiado por trabalho de investigação no campo da tecnologia quântica. Amante da fotografia durante os últimos 20 anos abraçou o profissionalismo na área em 2006. O seguinte conjunto de trabalhos de macrofotografia é verdadeiramente inspirador.”



Alguns exemplos desse trabalho:

Coelho preto

Jacaré

 

 Gato Siamês 

16 de Novembro de 2011 / Sofia Ferreira

Fotografia em abundância

Está em cartaz em Amesterdão, na Holanda, uma exposição que reúne milhões de fotografias que, em apenas 24 horas, foram colocadas no website de partilha de fotos Flickr. Fotografia em abundância é o nome deste projecto do holandês Erik Kessels, que imprimiu todas as fotografias colocadas no Flickr apenas no dia 4 de Agosto de 2011.

O resultado está à vista: cerca de 6 milhões de fotografias amontoadas numa sala do Museu Foam, no bairro Keizersgracht. Com este projecto, o objectivo de Kessels foi ilustrar como as novas tecnologias facilitaram a fotografia e levaram a uma inundação de imagens na vida moderna.

“Através da digitalização da fotografia e a ascensão de sites como o Flickr e o Facebook, toda a gente tira fotografias hoje em dia, e partilha-as com o resto do mundo. O resultado são incontáveis fotos à nossa disposição”, disse o artista. Ao imprimir as imagens, Erik Kessels diz que visualiza um “mergulho em fotografias da experiência alheia”.

Este projecto, em conjunto com outros de Lauren Cornell, Jefferson Hack e Alison Nordstrom, faz parte da exposição Museu do Futuro da Fotografia, a qual reúne trabalhos que abordam as mudanças e os desenvolvimentos que devem moldar as próximas décadas desta arte. A exposição está aberta ao público até ao dia 7 de Dezembro.

Sofia Ferreira

12 de Novembro de 2011 / daniifontes

Macacos fotografam-se com máquina roubada

Na Indonésia, uma macaca roubou a câmara a um fotógrafo profissional e acabou por tirar centenas de fotografias a si própria, e em diferentes poses. Depois, outros macacos seguiram o seu exemplo seduzidos pela câmara.
David Slater, um fotógrafo de 46 anos, participava numa expedição onde “há três dias caminhavam com os macacos que pareciam amigáveis e nunca foram agressivos, apenas curiosos”, segundo conta.
Ao terceiro dia, o fotógrafo deixou a máquina esquecida por uns minutos e o resultado foi surpreendente.
Uma primata fêmea deste grupo de macacos pretos agarrou o objeto e, fascinada pelo seu próprio reflexo na lente, pressionou acidentalmente o botão da câmara. O resultado foi um autorretrato de excelente qualidade, a que se seguiram muitos outros.
David ficou surpreendido com o comportamento dos macacos desta que é uma espécie rara e ameaçada, e acabou por permitir que tirassem centenas de fotos, algumas delas de grande qualidade, garante o fotógrafo.
Esta espécie de macaco negro indonésio é conhecida por ser inteligente e curiosa. Talvez daqui em diante passe a ser conhecida também pela fotogenia.

Daniela Fontes

10 de Novembro de 2011 / Sofia Ferreira

Lytro – Uma câmara fotográfica revolucionária

Muitos de nós ficámos fascinados com a possibilidade de evitar o erro quando surgiu a fotografia digital. A preocupação em conseguirmos o registo perfeito na altura certa deixou de ser problema. Lytro é uma câmara que nos oferece uma mais-valia com a sua revolucionária tecnologia de foco, garantindo um ajuste na imagem numa variedade infinita de resultados finais, ficando ao nosso critério definir as prioridades visuais que queremos construir, mesmo depois de tirarmos a fotografia. Disponível em três cores (Graphite, Electric Blue e Red Hot), as duas primeiras cores estão à venda por 399 dólares (293€) e a última por 499 dólares (366€).

Para mais informações, ou até mesmo para comprar a Lytro, podem aceder ao website, aqui.

Sofia Ferreira

10 de Novembro de 2011 / Sofia Ferreira

A fotografia mais cara do mundo

Tem como título Rhein II e foi fotografada por Andreas Gursky. Na noite da passada terça-feira, foi vendida por 4.3 milhões de dólares, dando lugar a um novo recorde e tirando o lugar a Untitled #96, de Cindy Sherman, que foi vendida por 3.89 milhões de dólares em Maio deste ano.

Sofia Ferreira

8 de Novembro de 2011 / daniifontes

Exposições

1ª – “Pinky & Óscar”
Até dia 15 de Novembro, no restaurante Oito Dezoito, na Rua de São Nicolau, em Lisboa, uma exposição de fotografia de António Moutinho.

2ª – “Tudo Foi Captado (Mesmo os Movimentos do Cabrito)”
Até 22 de Janeiro de 2012. Terça a sexta – 10h/19h. Sábado e Domingo – 14/19h. Gal. Quadrum. R. Alberto Oliveira, Palácio dos Coruchéus, Lisboa. Uma exposição de Alexandra do Carmo.

Daniela Fontes

%d bloggers like this: